O novo ensino médio e a necessidade do ensino internacional nas escolas

O novo ensino médio e a necessidade do ensino internacional nas escolas

2022 é o prazo final para as escolas adotarem as medidas do Novo Ensino Médio. Isso significa que o próximo ano letivo já será diferente. Mas isso não quer dizer que será um desafio difícil. A inserção de um programa internacional nas escolas pode facilitar (e muito) esse processo de transição.

2022 é o prazo final para as escolas adotarem as medidas do Novo Ensino Médio. Isso significa que o próximo ano letivo já será diferente. Mas isso não quer dizer que será um desafio difícil.

A inserção de um programa internacional nas escolas pode facilitar (e muito) esse processo de transição.

Nesse artigos serão abordados os seguintes tópicos:

  • O Novo ensino médio e os itinerários formativos
  • Competências na BNCC
  • Como a internacionalização pode ajudar
  • Comece a revolução na sua instituição

O NOVO ENSINO MÉDIO E OS ITINERÁRIOS FORMATIVOS
O Novo Ensino Médio contempla algumas mudanças, como o aumento da carga horária, uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e os itinerários formativos, contribuindo para a formação técnica e profissional.

Essas mudanças têm como objetivo preparar o aluno para o mercado de trabalho e para a vida social, saindo do comum foco apenas em aprovações através dos vestibulares. O ENEM, inclusive, também precisará se adaptar a essas mudanças.

Um dos pontos mais relevantes dessa transição, são os itinerários formativos. São eles que proporcionam a flexibilidade do ensino e impulsionam o aluno a aprofundar seu conhecimento em áreas de interesse por meio de disciplinas extras, núcleos de estudo ou oficinas.

COMPETÊNCIAS NA BNCC
A BNCC desenvolveu 10 competências gerais a serem estimuladas pelos colégios. São elas:

  1. Conhecimento. Os alunos devem saber utilizar o conhecimento sobre fatores sociais, culturais, históricos e até digitais para solucionar questões da realidade atual.
  2. Pensamento científico, crítico e criativo. É preciso saber pensar, questionar, ser curioso para encontrar soluções inovadoras para problemas simples ou complexos em qualquer área.
  3. Repertório cultural. Promover a valorização da cultura e do mundo artístico, local e mundial.
  4. Comunicação. Desenvolver uma comunicação, verbal e não verbal, eficiente é essencial para os alunos conseguirem se expressar da maneira correta na vida cotidiana.
  5. Cultura digital. Estimular o uso e a criação de tecnologias de comunicação faz com que os estudantes estejam preparados para a nova onda profissional, onde toda a comunicação, ou até mesmo o trabalho em si, é feita de forma online.
  6. Trabalho e projeto de vida. A nova BNCC possui como um dos princípios, dar enfoque na futura carreira do aluno. Portanto, uma das competências é justamente incentivar a visão profissional.
  7. Argumentação. Melhorar a capacidade de defender ideias com argumentos embasados e de forma crítica. Um recurso indispensável para a vida no mercado de trabalho e social do estudante.
  8. Autoconhecimento e autocuidado. Incentivar a prática de olhar para si, cuidar da saúde mental e emocional para conseguir alcançar objetivos em todas as áreas da vida.
  9. Empatia e cooperação. Duas qualidades necessárias para conviver em sociedade. Desenvolvê-las através do ensino é primordial para uma convivência em harmonia.
  10. Responsabilidade e cidadania. Conduzir os alunos a terem responsabilidade diante suas ações, autonomia e flexibilidade para tomar decisões.

COMO A INTERNACIONALIZAÇÃO PODE AJUDAR
Muitas das mudanças do Novo Ensino Médio já estão estabelecidas no ensino internacional. Portanto, inserindo um programa de High School para alunos do Ensino Médio, a transição para uma nova metodologia de ensino se transforma em algo natural. Sem contar que, ao finalizar o programa, é entregue o diploma internacional, enriquecendo ainda mais o currículo.

O que seriam os itinerários formativos no ensino brasileiro, no High School, eles são implementados através dos “AP’s”, “Honors” e “CTE’s”, que seriam as disciplinas cursadas na área de interesse do aluno, cada modalidade com seu peso.

Outro benefício do programa, é que as competências impostas pela BNCC são desenvolvidas durante o aprendizado.

As competências de conhecimento, pensamento científico, crítico e criativo e repertório cultural são estimuladas através das matérias de U.S. History, por exemplo, que utiliza dados e fatos da história e cultura americana para criar soluções e conclusões relativas à realidade do mundo atual.

A comunicação, argumentação e empatia e cooperação estão presentes nas aulas presenciais com os professores, onde os alunos praticam atividades em grupo e criam discussões se comunicando 100% em inglês.

Através do ensino baseado no blended learning, os alunos constroem responsabilidade e cidadania, autoconhecimento e autocuidado e cultura digital por meio das atividades de estudo e avaliativas online, junto com um cronograma baseado no ritmo individual. Assim não há sobrecarga emocional por conta dos estudos e o estudante cria responsabilidade por cumprir com seu compromisso de estudo.

Por último, a competência de trabalho e projeto de vida não ficou de fora. As disciplinas extras entram para guiar o aluno em direção à sua vocação profissional. Disciplinas categorizadas como “AP” são equivalentes às aplicadas em universidades. Portanto o aluno pode se aprofundar a nível acadêmico nos assuntos de interesse.

COMECE A REVOLUÇÃO NA SUA INSTITUIÇÃO
Se chegou até aqui tenho certeza que sua instituição é o lugar certo para o início dessa revolução de ensino.

Para saber mais como funcionam os programas de internacionalização da Flex Learning, entre em contato conosco!

Fale com a gente pelo WhatsApp!

Entre em contato por e-mail.