Previsões para a educação em 2022

Previsões para a educação em 2022

TÍTULO: Previsões para a educação em 2022

    Como já abordado em textos anteriores, a pandemia causou transformações em vários aspectos da sociedade, e na educação não foi diferente. Com isso, o pensamento de “o que nos aguarda no futuro?” é necessário para podermos evoluir e compreender um pouco mais o que realmente vem pela frente. 

      Por isso, nós vamos abordar possíveis mudanças acerca de como o ensino nas escolas estará no ano de 2022 e 2023. 

Veja os tópicos abaixo:

  • Interação Social
  • Avaliações e Diagnósticos
  • Ensino Híbrido e Tecnologia

1. Interação Social

    Com o retorno das aulas presenciais nas escolas, seguindo as normas de segurança sanitária, é necessário valorizar as interações entre os alunos. Afinal, com a pandemia, teve-se o aumento de doenças mentais como: ansiedade, depressão, fobias sociais, etc. Por isso, se torna tão precioso esse incentivo a novos relacionamentos interpessoais.
Claro, o processo de readaptação não será imediato, pois 2 anos de mudanças drásticas na vida da população não serão apagados em meras semanas. Entretanto, é importante que ocorra, para evitar que os problemas se estendam por mais tempo e agravem a situação. O trabalho socioemocional com os alunos será peça chave para ajudar nesse período, mas também com seus sentimentos ao longo dos anos.

2. Avaliações e Diagnósticos

Mediante os impactos da pandemia, é natural, mesmo que com esforços das escolas, que os alunos tenham tido uma queda no seu rendimento escolar, isso se reflete no ENEM, no qual, teve apenas pouco mais de 3 milhões de inscritos, o menor número desde 2005. Alguns alunos não fizeram suas inscrições por perceberem que não conseguiram aproveitar bem o ano letivo e/ou estavam desmotivados.
Por isso, é necessário que as escolas façam avaliações que busquem diagnosticar e compreender melhor como estão os estudantes nesse retorno das aulas presenciais. Vale ressaltar que esse diagnóstico não é para servir de comparação entre os estudantes ou cobrança, mas sim, como visão geral da situação que eles se encontram, possibilitando assim, estratégias para combater/mitigar essa defasagem.

3. Ensino Híbrido e Tecnologia

Como já discutido em outros textos, o ensino híbrido (adicionar o link para redirecionar para o texto que discute sobre isso) é uma alternativa que será utilizada, pois permite a disponibilização de conteúdos em plataformas onlines para os alunos. A sala de aula em parceria com a tecnologia será necessária para dinamizar e auxiliar o ensino presencial, criando um ensino único e personalizado.
A tecnologia estará cada vez mais presente na sociedade, por isso é importante que as novas gerações se acostumem com isso, além de que são muito necessárias no mercado de trabalho. Tablets, computadores ou plataformas digitais, todas essas ferramentas são válidas, mas é necessário impor limites no uso e a capacitação dos professores para que seja possível utilizá-los da melhor maneira possível.